Português
中文繁體
Deutsch
English
Polski
Română

Paciente de Ataxia Espino cerebelar, Alexandra. Tratamento com Células-tronco adultas traz Melhoria do discurso [vídeo]

Assim como muitos outros pacientes com Ataxia a perda progressiva de funções motoras básicas, discurso e equilíbrio, vieram como um choque repentino. Tarefas simples que eram tomadas como simples, agora eram obstáculos diários. Esta era a vida de Alexandra Neumann, até que encontrou Beike Biotecnologia e as células-tronco de adultos, que foram providas a mais de 750 pacientes com Ataxia.

Alexandra foi diagnosticada com Ataxia Espino Cerebelar tipo 1 em 2013. Mudanças de humor, perda de equilíbrio e fala arrastada foram os sintomas que finalmente a levaram a procurar ajuda médica. Enquanto ainda há muita pesquisa sobre esta condição, não se sabe muito sobre os vários diagnósticos de Ataxia. No caso de Alexandra parece genética, pois sua mãe também tinha essa condição. Com a falta de informação vem uma grave falta de opções de tratamento para a Ataxia  deixando tratamento com células-tronco adultas, como a opção de tratamento mais eficaz até o momento.

Abaixo está depoimento sobre o tratamento com células tronco de Alexandra, um vídeo estilo de documentário curto, filmado durante seu tempo em Bangkok, Tailândia. Embora o tratamento com células-tronco não seja uma cura para a Ataxia, este vídeo demonstra o resultado esperado para os nossos pacientes com Ataxia, mostrando melhorias no equilíbrio, fala e função motora.

VIDEO: Alexandra | Depoimento [legendas em inglês]

Desde que deixou a estação de tratamento parceira da Beike em Bangkok, Alexandra continuou a ver melhorias e está mantendo com a fisioterapia e terapia ocupacional prescrito em seu programa de tratamento com células-tronco. Seu caminhar melhorou muito, e ela está se sentindo muito menos cansada durante todo o dia. Ela parou de tomar a medicação durante o tratamento e relata que ela ainda não precisa deles.

Quando perguntada o que tem sido mais fácil para ela desde que voltou para casa, ela respondeu que “tudo ficou mais fácil. Mas em particular andar nas escadas.” Alguns dias são ainda melhores do que outros, no entanto, e é vital que ela continue seu PT e OT e continue a apoiar as células-tronco através da manutenção de um estilo de vida saudável.

Como Ataxia é uma doença progressiva, esperamos que Alexandra retorne para o tratamento de células-tronco no futuro. Até então, vamos continuar a acompanhar através do nosso Programa de Avaliação de Saúde, e relatar quaisquer alterações importantes que ela experimenta.
Se você ou algum ente querido está buscando opções de tratamento para Ataxia, por favor consulte abaixo.

Share This